Archive for the 'ESTUDO' Category

09
jun
09

Determinação, Coragem e Fé

Texto Baseado em Mateus 15.21-28

mulher-cananeia-O dia amanheceu como outro qualquer, trazendo consigo a mesma dor, a mesma angústia, o mesmo sofrimento para uma mãe que se sente impotente diante de uma filha querida que se encontra a mercê de espíritos malignos, sendo profundamente oprimida e atormentada.

O desespero batia à porta, quando de repente alguém chegou com a notícia de que Jesus, o judeu que pregava e operava milagres, curas e libertações, se encontrava na região. O coração disparou, a mão foi aos olhos e limpou algumas lágrimas que ainda restavam. A emoção falou mais alto do que a razão, a esperança foi renovada, uma decisão foi tomada.

A mãe, bastante determinada e resoluta, foi à procura daquele que poderia libertar a sua filha. Encontrou-o numa casa, e sem nenhuma cerimônia lançou-se aos seus pés, rogando-lhe que expulsasse da menina o demônio.

O silêncio de Jesus foi ensurdecedor. Aquela mãe, contudo, não desiste, aliás, as mães são as últimas pessoas que desistem de lutar pelo bem de seus filhos. Quando todos desistem, elas permanecem ali, firmes e inabaláveis, acreditando que ainda há uma esperança.

Despede-a! Disse alguns incomodados com a persistência e com o clamor daquela mãe. O Mestre resolve falar, todos aguardam atento o som da sua voz, que enfim declara: eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. A mãe, que era grega e de origem sirofenícia, ao escutar as palavras, tendo todas as razões para desistir de sua empreitada, humildemente cai prostrada aos seus pés, meigamente o adora e diligentemente implora, clamando: Senhor socorre-me.

As palavras do Senhor soam como que carregadas com certa indiferença, aridez e insensibilidade: – Não é bom pegar no pão dos filhos e deitá-los aos cachorrinhos.

Aquela mãe processa o que ouve em sua mente, respira fundo, e com um olhar terno e voz suave afirma: – Sim, Senhor, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.

Em outras palavras, a mãe persistente estava afirmando: Eu não quero o pão dos filhos. Por qual motivo eu desejaria o pão, quando as migalhas resolvem? Há migalhas aqui que poderão saciar a fome de ver a minha filha liberta. Há migalhas aqui que podem operar milagres. Há migalhas aqui que nenhum demônio resiste ao seu poder. Há migalhas aqui que podem fazer o sorriso voltar, a alegria ser restaurada e a paz prevalecer. Eu preciso apenas das migalhas, das migalhas que caem da mesa do meu Senhor!

Jesus volta o seu olhar penetrante para aquela mãe, e enxerga no mais profundo daquele pequenino ser, algo oculto aos olhos dos que o cercavam. Jesus percebe amor, coragem e fé.

Amor que supera os temores para com os preconceitos instaurados numa sociedade que coisificara a mulher.

Amor que supera as barreiras raciais, ao ponto de fazer com que aquele que era tido como um ser-menos (por ser mulher e não ser israelita) se aproxime e se humilhe diante de alguém, considerado do ponto de vista cultural da época, como um ser-mais (por ser homem e ser judeu).

Amor que supera todas as distâncias e empreende todos os esforços, na busca pelo bem estar do fruto de seu ventre.

Então respondeu Jesus, e disse-lhe: – Ó mulher! Grande é a tua fé: seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã.

Deixo aqui este pequeno texto, onde através da pessoa e das ações da “mãe cananéia” (chamada no texto bíblico de mulher cananéia, conf. Mt 15.22), quero homenagear minha mãe, dona Juracy, mulher crente e serva do Senhor, que nunca desistiu de mim, e que através de sua fé persistente fui alcançado, liberto e salvo pelo Senhor.

Obrigado mãe!

por: Pr. Altair Germano/ http://www.quadrangularfernanda.com

Anúncios
29
fev
08

Os Fatos sobre Criação e Evolução

Que conseqüências sociais e políticas recentes podem ser atribuídas à crença evolucionista?

O filósofo Will Durant notou certa vez: “Ao oferecer a evolução em lugar de Deus como uma causa da história, Darwin removeu a base teológica do código moral da cristandade. No entanto, o código moral que não teme a Deus é bastante frágil. Essa é a condição em que nos encontramos. Não penso que o homem já seja capaz de lidar com a ordem social e a decência individual sem temer algum ser sobrenatural que tenha autoridade sobre ele e possa

castigá-lo”.[1] Podemos confirmar em toda parte que a declaração de Durant estava correta.

Num Universo que, em última análise, não tem razão de ser, o que acontece com a ética individual e social? Por que os mais poderosos e inteligentes entre nós não devem manipular os menos inteligentes e menos poderosos para os propósitos que consideram “bons” e “respeitáveis”?

O século XX está repleto de exemplos. Os últimos 80 anos testemunharam alguns dos maiores horrores de toda a história da humanidade – principalmente o resultado das atrocidades nazistas e comunistas. A Alemanha nazista foi hedionda e o comunismo foi responsável pela morte de aproximadamente 25 vezes mais pessoas que as sacrificadas por Hitler![2]

Essas ideologias, porém, continuam ainda vivas. Na Alemanha de hoje, o neonazismo se tornou uma poderosa força social e o neofacismo está crescendo na Itália – quase inconcebivelmente, sob a liderança da própria neta de Mussolini. Apesar do colapso do comunismo na Europa e na Rússia, a teoria marxista continua dominando mais de um bilhão de pessoas na China e em outros países. Ninguém pode ter também certeza de que a Rússia e a Europa Oriental vão continuar seu movimento em direção à democracia.

O que tudo isso tem a ver com a evolução naturalista? A evolução está baseada na premissa de que o tempo mais a matéria impessoal mais o acaso formaram todos os seres vivos. Em essência, o homem se torna algo como um acidente trágico, não tendo valor final, girando a velocidades vertiginosas através dos corredores sombrios do espaço.

Visões filosóficas moldadas por pensamentos desse tipo podem, entretanto, encontrar facilmente expressão lógica na vida diária de milhares de indivíduos. Isso foi reconhecido por Sedgwick, um geólogo de Cambridge e conhecido de Darwin, que achou que Darwin havia mostrado a cada criminoso como justificar seu comportamento. Ele também cria que se os ensinos de Darwin tivessem larga aceitação, a humanidade “iria ser prejudicada a ponto de brutalizar-se e fazer a raça humana mergulhar num grau maior de degradação do que qualquer outro em que tivesse caído desde que os seus registros escritos nos contam a sua história”.[3]

Um dos maiores evolucionistas de épocas recentes foi o antropólogo Sir Arthur Keith. Ele dedicou mais tempo ao estudo da ética evolucionista do que talvez qualquer de seus contemporâneos. A sua obra Evolution and Ethics (Evolução e Ética) mostra que a ética ensinada pelo cristianismo e a da evolução não são compatíveis: “O ensinamento cristão está… em oposição direta à lei da evolução” e, “a ética cristã não se harmoniza com a natureza humana e é secretamente antagônica ao esquema de evolução e ética da natureza”.[4]

Keith também compreendeu que, se seguirmos a ética evolucionista até a sua conclusão estrita e lógica, devemos “abandonar a esperança de alcançar um dia um sistema universal de ética” porque, “como acabamos de ver, os caminhos da evolução nacional, tanto no passado como no presente, são cruéis, brutais, implacáveis, impiedosos”.[5]

De fato, quando examinamos a influência social e política da teoria darwiniana sobre a última metade do século dezenove e todo o século vinte, as conseqüências morais são algumas vezes amedrontadoras. O próprio Keith observa o gélido impacto da teoria de Darwin sobre a Alemanha:

Vemos Hitler supremamente convencido de que só a evolução produz uma base verdadeira para a política nacional… Os meios adotados por ele para assegurar o destino da sua raça e do povo foram matanças organizadas, que saturaram a Europa de sangue… Tal conduta é altamente imoral quando medida por qualquer escala de ética, todavia a Alemanha a justifica; ela está de acordo com a moral tribal ou evolucionista. A Alemanha voltou ao passado tribal e está demonstrando ao mundo, em toda a sua nudez, os métodos da evolução…[6]

Na Alemanha, Hitler viu na teoria evolucionista a justificação “científica” de seus pontos de vista pessoais. “Não há dúvidas de que a evolução foi a base de todo o pensamento nazista, desde o início até o fim. Todavia, é de fato um fenômeno notável que tão poucos tivessem se apercebido disso até hoje”.[7]

Uma forma de darwinismo foi também utilizada efetivamente na propagação da ideologia comunista. Karl Marx “sentiu que sua obra era um paralelo exato da de Darwin” e ficou tão grato que quis dedicar uma parte do livro Das Kapital (O Capital) a Darwin, que declinou a honra.[8]

Marx escreveu a Engels com respeito a A Origem das Espécies, dizendo que o livro “contém na história natural a base para as nossas opiniões da [história humana]”.[9] Em 1861, ele também escreveu: “O livro de Darwin é muito importante e me serve como base na seleção natural para a luta de classes na história…”[10]

O Dr. A. E. Wilder-Smith comenta: “A propaganda política e anti-religiosa publicada desde os dias de Marx está eivada do darwinismo mais primitivo”, observando que “ela brutaliza aqueles a quem domina”.[11]

A filosofia de Marx, como a de Hitler, refletia a brutalidade da natureza. Ele se referia ao “desarmamento da burguesia… terror revolucionário… e criação de um exército revolucionário…” Além disso, o governo revolucionário não teria “nem tempo nem oportunidade para a compaixão e o remorso. Seu intento era aterrorizar os oponentes até a sua submissão. Ele deve desarmar o antagonismo mediante execução, prisão, trabalho forçado, controle da imprensa…”[12]

Em vista do impacto de Hitler, Marx e seus associados, e a ligação demonstrável de suas filosofias desumanas com o ateísmo evolucionista, os comentários do filósofo histórico John Koster são pertinentes:

Muitos nomes foram citados além dos de Hitler para explicar o Holocausto.

De modo estranho, o de Charles Darwin quase nunca se encontra entre eles. Todavia… as idéias de Darwin e de Huxley quanto ao lugar do homem no Universo prepararam o caminho para o Holocausto… Hitler e Stalin assassinaram mais vítimas inocentes do que as que morreram em todas as guerras religiosas na história da humanidade. Eles não assassinaram essas vítimas enganados pela idéia de salvar as suas almas ou punir os seus pecados, mas por serem competidores na questão do alimento e obstáculos ao “progresso evolutivo”. Muitos humanitários, cristãos, judeus, ou agnósticos compreenderam a relação entre as idéias de Nietzsche e as equipes de assassinato em massa e os crematórios de Hitler. Poucos, porém, voltaram um passo atrás fazendo a ligação com Darwin, o “cientista” que inspirou diretamente a teoria do super-homem de Nietzsche e o corolário nazista de que alguns indivíduos são subumanos. A evidência estava toda ali – o termo neodarwinismo foi usado abertamente para descrever as teorias raciais nazistas. A expressão “seleção natural”, como aplicada a seres humanos, foi encontrada na Conferência de Wannsee no principal documento do Holocausto…

Podemos ver os eventos na Alemanha de Hitler e na Rússia de Stalin como uma coleção sem sentido de atrocidades que tiveram lugar porque os alemães e os russos são pessoas perversas, nada parecidas conosco. Ou podemos compreender que a imposição das teorias de Huxley e Darwin, de que a-vida-é-patológica, de depressão clínica disfarçada em ciência, desempenhou um papel crítico na era das atrocidades. E que isso nos sirva de aviso. As pessoas têm de aprender a deixar de pensar em seus semelhantes como se fossem máquinas e aprender a pensar neles como homens e mulheres possuidores de uma alma…”[13]

(John Ankerberg e John Weldon – http://www.chamada.com.br)

Notas

1.
Will Durant, “Are We in the Last Stage of a Pagan Period?” Chicago Tribune, Syndicate (abril de 1980); de Morris, The Long War, 149.
2.

Registros da KGB publicados: Aleksandr Solzhenitsyn, Warning to the West (Nova Iorque: Farrar, Straus & Giroux, 1977), 129; As mortes na China comunista alcançam mais de 30 milhões segundo algumas estimativas.
3.

Marshall e Sandra Hall, The Truth (Nutley, NJ: Craig Press, 1974), 100.
4.

Sir Arthur Keith, Evolution and Ethics (Nova Iorque: G. P. Putnam’s Sons, 1947) 69-70.
5.

Ibid., 15.
6.

Ibid. 28-29, 230.
7.

Morris, The Long War, 79; cf. Benno Muller-Hull, Murderous Science: Elimination by Scientific Selection of Jews, Gypsies and Others in Germany 1933-1945 (Nova Iorque: Oxford University Press, 1988) para documentação do papel desempenhado pelos cientistas evolucionistas alemães nas políticas raciais nazistas.
8.

Burrow, ed., Origin of Species, 45: Jacques Barzun, Darwin, Marx, Wagner: Critique of a Heritage (Garden City, NY: Doubleday, 1958), 8; cf. Q. V. “Darwinism”, Encyclopedia of Philosophy, Vol. 2, 304.
9.

Em David Jorafsky, Soviet Marxism and Natural Science (Nova Iorque: Columbia University Press, 1961), 12; Morris, The Long War, 84.
10.

Hall e Hall, The Truth, 139-140.
11.

A. E. Wilder-Smith, Man’s Origin – Man’s Destiny: A Critical Survey of the Principles of Evolution and Christianity (Wheaton, IL: Harold Shaw, 1970), 192-195.
12. Hall e Hall, The Truth, 150-151, citando Harold J. Laski, Karl Marx: An Essay (Londres: The Fabian Society, 1925), 19, 39.
13. John P. Koster, Jr., The Atheist Syndrome (Brentwood, TN: Wolgemuth & Hyatt, 1989), 142, 187-189.

Extraído do livro Os Fatos Sobre Criação e Evolução.

27
fev
08

11 Mentiras do diabo a respeito do pecado

11 MENTIRAS DO DIABO A RESPEITO DO PECADO

Primeira mentira: “ O pecado traz realização. “

Realização quer dizer princípio,meio e fim. Casamento,igreja,carteira de motorista.

Ex: funcionário roubando, líder de louvor.


Segunda mentira: “ O pecado é facilmente derrotado. “

O pecado não é facilmente derrotado. Nossa carne é escrava da lei do pecado.Rom 7:25

Ex: quem menti, menti 3 vezes em 1 minuto.


Terceira mentira: “ O pecado pode ser vencido com sua própria força. “

Dependendo da situação tem que pedir ajuda. Obs: alguém que possa ajuda-lo.

Jesus disse: “ sem mim nada podeis fazer.” João 15:5.

Jesus no início do seu ministério se encheu do Espírito Santo.


Quarta mentira: “ Podemos escolher as conseqüências do pecado. “

Você escolhe pecar, mas não as suas conseqüências.Quando você ainda pode decidir, tudo bem, mas quando não pode mais, aí fica difícil. Prov. 3:7


Quinta mentira: “ Seus amigos não se afastarão de você. “

Se permanecer no pecado, Deus afastará dele as pessoas que o elogiam. Se não a pessoa dirá: “pequei e todos estão perto de mim…”.Davi quando errou todos se afastaram dele, o filho o pródigo ficou só.Sansão também. Sl. 38:11 Ex: Judas.


Sexta mentira: Seu pecado vai ficar escondido para sempre. “

Cuidado com os “ SANTARRÕES “ que criticam a igreja. Se a intenção fosse edificar a igreja, iriam no pastor.Ex: líder do louvor( ela procurava nos outros o que gostaria de ser, por isso exigia aquilo que queria ser e não conseguia. “ Lucas 12:2,3.


Sétima mentira: “ No momento que quiser, você pára de pecar. “

Pr. Jorge Linhares 35 anos servindo a Deus fala: “ não é fácil parar “ por isso não brinque com o pecado


Oitava mentira: “ As pessoas esquecem rapidamente.

Você pode levantar, mas as marcas ficarão.As pessoas não esquecem dos nossos erros. Eles falam: “…fico feliz em ver ele assim, por que um dia haaaaa…….”Só Deus é capaz de esquecer nossos pecados, Ele joga no mar e diz: É PROIBIDO PESCAR.

Alguns dizem:Perdoar é esquecer. Não é fácil esquecer. SÓ DEUS CONSEGUE ISSO.


Nona mentira: “ Outros fizeram e nada aconteceu; não vai acontecer nada com você.”

Pode ser que aconteça justamente com você!!!Não tome como referencial pessoas que fizeram coisas erradas e não foram disciplinadas. Ap. Paulo adverte: I Tim. 5:24


Décima mentira: “ Deus perdoa tudo, pois Ele é Pai de Amor. “

Há pecados que Deus não perdoa, como a blasfêmia contra o Espírito Santo.

Se você acha que o Espírito Santo removerá seu pecado, você está ENGANADO.

TEM QUE HAVER ARREPENDIMENTO. Hebreus 6:1-11


Décima primeira mentira: “ Os homens serão complacentes e você reconquistará tudo que perdeu: o nome, o dinheiro, a posição e os amigos .”

Deus até pode restituir você em tudo, mas se depender do homem não! Ex: passe um cheque sem fundo e depois peça crédito? O Senhor nos perdoa, mas as pessoas não são Deus. Elas são imperfetas como nós. Muitas terão medo de que tornemos a pecar, e se afastarão.

CONCLUSÃO : Rom. 6:20-23 João 8:44 Tiago 1:15

Fonte: LIVRO: ONZE MENTIRAS DO DIABO A RESPEITO DO PECADO – editora Getsêmani

26
fev
08

5 Desejos de Deus para sua vida

5 DESEJOS DE DEUS PARA TUA VIDA

Assim como todos nós temos os nossos desejos e muitas vezes apresentamos eles a Deus em nossas orações, quero lhes falar de que também é desejo de Deus fazer algumas coisas conosco. Vejamos :

1Sondar o teu coração : Sl 139:1-3.   Uma sonda é algo que vai no profundo onde muitas outras coisas nao conseguem chegar. A sonda é utilizada para medir as profundezas das aguas, como também para a perfuração de solos. Também usada como canal de transferência de alimento para o organismo. Sondar quer dizer: investigar, avaliar, etc… Vejo que Jesus Cristo quer entrar no teu coração e ali fazer algo maravilhoso.

Algumas pessoas cobram porque Deus ainda nao abençoou a vida delas, mas elas nuncam revelaram para Deus os seus desejos mais íntimos. Deus quer ter intimidade com você.  Quando Jesus Cristo estava perto do Cego de Jericó, Jesus perguntou que queres que eu te faça “,. Deus quer relacionamento com você através de Jesus no seu coração.

2Ver o teu coração quebrantado :  Sl 34:18  ,  51:17.Num coração quebrantado está o começo de algo novo “. Creio que esta frase é muito forte. por exemplo: Um casal de namorados se brigam, e as vezes o orgulho quer impedir uma conversa franca de reconciliação e as vezes se troca uma boa conversa de quebrantamento e reconhecimento do erro, por um presente ou uma festa. Creio que um coração arrependido do erro vale muito mais do que presentes ou festas. Faça esta pergunta para um casal apaixonado, e veja se quando há algum tipo de atrito, o que eles querem não é uma roupa nova ou um perfume novo,mas sim um coração quebrantado pela parte da pessoa errada.        Assim a bíblia fala que Deus nao resiste a um espírito quebrantado.

3 – Tranformar : II Cor. 5:17 .” este texto fala que se alguém está em Cristo, nova criatura é, as coisas velhas já passaram e tudo se fez novo”. Quando Jesus entra na tua vida, Ele entra pra valer, é mudança radical da tristeza para a Alegria, da solidão para aFesta ,enfim………                                                                                                                     Rom. 12 : 2 ” este texto fala para transformar nossos pesnsamentos. É desejo de Deus transformar toda tua vida. Estamos vivendo um novo tempo onde nosso amigo Jesus tem mudado a vida de muitos jovens que antes viviam nas drogas, jovens que não sorriam, eram depressivos, mas hoje estao transformados para transformar.

4 – Encher a tua vida : Sl 126 : 2 e 3. Tem gente que tá cheio de tristeza, ódio, história para contar de fracassos, problemas, cheios as vezes de confusão. Mas Cristo quer te encher é de muita unção de alegria, vitória, sabedoria, prosperidade, amor e tudo de bom que só ele pode dar. Assim você se torna uma pessoa alegre com a vida, louca de vontade de aproveitar cada momento na comunhão com os manos e as minas, curtindo um esporte  ou uma boa música gospel e sair por aí falando da transformação que Jesus fez nasua vida.

5 – Usar a tuda vida – Atos 9:15. Não existe coisa mais maravilhosa do que ser usado por Deus, ser usado para ser útil para alguém ou alguma coisa. Deus quer usar a tua vida de uma forma muito especial.  Uma coisa que eu sempre falo é que não existe sentimento melhor do que o do dever cumprido “.

Líder da Rede de Jovens de tubarão- SC  Betinho –

25
fev
08

Jovem você tá legal mesmo?

Se toca : Jovem você tá legal mesmo?
Faça um pequeno teste para avaliar sua auto-estima. Depois de cada situação, veja se sua auto-estima sobre, desce ou permanece a mesma.
1. Seu pai ou sua mãe acorda você com um abraço, dizendo que você é um sonho de pessoa.
2. Seu pai ou sua mãe acorda você e reclama do estado do seu quarto. Termos como “bagunçado” ou “chiqueiro” fazem parte da lista.
3. Você perde o ônibus da escola.
4. A pessoa com a qual você gostaria de sair pára e lhe oferece uma carona.
5. Você recebe nota 10 num trabalho escolar importante.
6. Você recebe um 5 no teste de matemática.
7. Você gostaria muito de participar da próxima peça teatral da escola, mas seu nome não consta na lista. Como reagiu a sua auto-estima?

Você conseguiu equilibrar o bom e o ruim com uma dose saudável de respeito por você mesmo? Ou você acabou se afundando? A vida oferece altos e baixos que afetam a auto-estima, mas Deus oferece uma forma melhor de a gente se auto-avaliar. Leia Isaías 44.1-8 para aprender o que Deus quer que pensemos a respeito de nós mesmo. · O que este texto diz a alguém cuja auto-estima está baseada nos altos e baixos da vida? · Como o fato de você saber que pertence a Deus afeta a maneira de sentir-se? Que tal… · Fazer uma lista do que você gosta em você. Para cada item sugira uma maneira de como poderia usar essa característica para servir a Deus. · Pedir conselho ao seu pastor de jovens sobre elevar sua auto-estima. Veja também: Deuteronômio 7.6-9, Salmo 139.1-16 e 1 Pedro 2.9,10

João Ferreira de Almeida
Fonte: www.jesussite.com.br

23
fev
08

Os Desaparecidos

Em uma tarde de verão, como parte de nosso culto familiar, li o quarto capítulo de 1ª Tessalonicenses. Antes de me retirar para descansar, sentei-me na minha poltrona preferida e meditei nos últimos versículos do capítulo.

Enquanto meditava, adormeci profundamente e tive um sonho maravilhoso. Em minha mente tudo parecia estar claro e nítido, e minhas faculdades intelectuais eram mais fortes e hábeis do que normalmente.

Sonhei que tinha acordado de manhã e ficado um tanto surpreso ao ver que minha esposa não estava do meu lado como sempre. Imaginando, no entanto, que sua ausência era temporária, aguardei, esperando seu breve retorno ao nosso quarto; mas depois de um espaço de tempo que eu considerei razoável, como ela não apareceu, me levantei e me vesti.

As roupas de minha esposa se encontravam onde ela as tinha deixado quando foi dormir, e eu estava certo de que ela estaria em algum lugar da casa. Então fui ao quarto de minha filha Júlia, imaginando que ela pudesse saber por onde andava a sua mãe, mas depois de bater na porta várias vezes sem obter resposta, entrei e descobri que ela também tinha desaparecido. “Estranho, muito estranho”, disse comigo mesmo; onde será que elas podem estar?”

Então fui ao quarto do nosso filho Frank, e encontrei-o de pé e já vestido, o que era algo bastante raro para ele assim tão cedo de manhã. Ele disse que tinha tido uma noite perturbada e achou que seria melhor levantar. Eu contei-lhe da ausência de sua mãe e irmã e pedi que desse uma olhada pela casa para ver se as encontrava. Enquanto isso, eu rapidamente terminei de me arrumar e logo Frank retornou dizendo que as desaparecidas não estavam em lugar algum e que todas as portas que davam para a rua estavam seguramente trancadas, como na noite anterior. Nós não conseguíamos pensar em mais nada e não sabíamos o que fazer a respeito desse estranho acontecimento.

Quando novamente fomos ao quarto de Júlia, encontramos na mesinha de cabeceira sua Bíblia aberta e marcada. Um versículo destacado atraiu minha atenção: “Por isso ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do homem virá” (Mt 24.44).

Minha esposa sempre dizia que essa passagem referia-se à vinda de Cristo para os Seus santos, a Igreja redimida, enquanto eu insistia em dizer que ela significava simplesmente a preparação para a morte. Mas, estou fugindo do assunto. Frank e eu concluímos que, sem tomar nosso café da manhã, deveríamos cada um seguir uma rota diferente e visitar alguns dos nossos amigos mais íntimos em busca de nossas queridas.

Primeiro, fui à casa da irmã da minha esposa, a Sra. E., e do seu marido, que eram pessoas boas e respeitáveis, membros de uma igreja cristã, embora com mentes um pouco mundanas. Depois que toquei a campainha várias vezes e esperei um tanto impacientemente, ela apareceu e pediu desculpas pela demora, dizendo que estava com um monte de problemas e teve que preparar ela mesma o café da manhã porque sua empregada, a quem sempre havia considerado uma boa cristã, tinha feito uma brincadeira de mau gosto: “Ela saiu para algum lugar sem nem sequer colocar a chaleira no fogo ou dizer uma palavra para qualquer um de nós. Mas, o que nos deixa confusos é como ela saiu da casa, porque todas as portas estão trancadas e as chaves estão aqui dentro, exatamente como nós as havíamos deixado ontem à noite quando voltamos da festa da Sra. B.”

“É verdade”, eu disse, “é realmente muito estranho”, e então lhe expliquei o motivo da minha visita matinal. Quando ouviu sobre o desaparecimento misterioso da minha esposa e de Júlia, ela ficou tão nervosa que fiquei feliz em mudar de assunto dizendo que, como eu não tinha tomado café da manhã, me juntaria a eles para o desjejum. Quando o seu marido ouviu a minha história, ele não deu muita importância, dizendo que minha esposa estava somente fazendo uma brincadeira para fazer com que eu me levantasse mais cedo de manhã. Ele estava certo de que as desaparecidas tinham se escondido em algum lugar da casa, e que quando eu voltasse as encontraria bem.

Enquanto nos sentávamos à mesa, a Sra. E. disse que teríamos que tomar café sem leite, já que o leiteiro, que até então tinha sido muito confiável, não tinha aparecido. Então a campainha tocou, e Frank entrou na casa em estado de grande nervosismo, dizendo que tinha ido a todos os lugares perguntando pela mãe, e em quase todas as casas havia encontrado um problema semelhante ao nosso. Quase todo mundo estava ansiosamente procurando por pessoas desaparecidas. Ele também disse que as ruas estavam cheias de pessoas agitadas, andando de um lado para outro, muitas delas chorando amargamente.

Nem conseguimos terminar o café da manhã antes que aparecessem pessoas na porta perguntando sobre vizinhos desaparecidos. Entre os que telefonaram estava o Sr. H., que nos deixou atônitos quando nos disse que seus dois filhos menores, de dez e doze anos de idade, tinham sumido juntamente com a avó, que tinha estado de cama por mais de seis anos. Diante dessa afirmação, o Sr. E. ficou visivelmente alarmado e nos relatou uma conversa que tinha achado um tanto herética: um amigo dele insistia que uma grande maioria dos membros das igreja nos dias de hoje não eram nada além de cristãos nominais, “antes amigos dos prazeres que amigos de Deus”, e que o amor das massas pelas coisas espirituais tinha alcançado um nível muito baixo. “Meu amigo também me assegurou”, disse o Sr. E., “que as Escrituras claramente ensinam que quando o número de eleitos da Igreja de Cristo estivesse completo, Cristo viria tão inesperadamente como um ladrão na noite, e chamaria os Seus santos, mortos e vivos, para encontrá-lO nos ares. A transformação seria efetuada em um piscar de olhos; e embora a chamada seria feita com um grito e o som de uma trombeta, ninguém além daqueles aos quais ela fosse destinada a ouviria. Eu temo que esse tempo já chegou e, infelizmente, nós estamos entre os que ficaram!”

Por causa do avançado da hora nos foi sugerido que fôssemos aos nossos lugares de trabalho. Frank já tinha ido para seu escritório, e eu, com o coração pesado, fui caminhando pela avenida em meio a uma multidão estranha de homens e mulheres cujos rostos demonstravam intenso sofrimento.

No centro comercial da cidade, observei que muitas lojas estavam fechadas, e aquelas que continuavam abertas não pareciam ter muito serviço. Cada bar pelo qual eu passava estava aberto, como sempre, com grupos de homens do lado de fora, aparentemente engajados em sérias discussões. Quando passei pelo prédio da prefeitura da cidade, não havia uma diminuição perceptível da multidão costumeira de “apadrinhados” políticos em volta do edifício.

Quando cheguei à minha própria loja, percebi que meu contador e o velho e fiel porteiro, que tinham me servido por tantos anos, ainda não tinham aparecido. Meus outros dois vendedores estavam por ali, não fazendo nada; e eu também não estava com ânimo de pedir-lhes que fizessem alguma coisa. Então, fui à Bolsa de Valores, e encontrei o maior ajuntamento de negociantes que já tinha visto ali em meses. Ao invés da balbúrdia e barulheira de compras e vendas, dos funcionários e mensageiros correndo de um lado para outro, havia uma tristeza solene espalhada sobre todos os presentes. Por consentimento unânime, e em conseqüência da grande calamidade que tinha tomado a comunidade, foi votado que “seria permitido um adiamento de três dias sobre todos os contratos que vencessem naquele dia.”

Não vou tentar explicar as razões e especulações que foram levantadas como sendo a causa dessa situação tão problemática, mas todos concordamos que o acontecimento era sobrenatural, e que, de alguma forma, nós que fomos deixados na terra, éramos culpados por isso. À tarde, por consentimento geral, trabalhos de todos os tipos foram suspensos, exceto nas redondezas dos bares, onde prevalecia uma grande desordem. Aqui e ali havia grupos de pessoas em conversas sérias. Em um deles estava um homem que parecia ser bem versado nas Escrituras e enquanto eu me aproximava ele estava dizendo: “Hoje é o dia sobre o qual Jesus falou, mas no qual nenhum de nós creu. E agora nós estamos começando a perceber o quanto fomos tolos.”

Naquela noite, quase todas as igrejas da cidade ficaram abertas e superlotadas. Todo mundo estava ansioso para saber a causa e o significado da “grande visitação” e para saber como as esperanças perdidas poderiam ser recuperadas. Muitos dos pastores também tinham desaparecido, mas alguns estavam presentes em suas igrejas. Toda ordem do culto foi esquecida e reinava uma confusão barulhenta. Incriminações e recriminações eram trocadas entre os pastores e o povo. As pessoas diziam que, se os pastores tivessem feito o seu trabalho e ensinado ao seu rebanho as verdades plenas da Bíblia, ao invés de fazê-los dormir com mensagens filosóficas e morais, eles não estariam agora nesta triste condição.

Na minha própria igreja, o pastor estava presente, junto com muitas outras pessoas que eu raramente via nas reuniões da igreja. A maioria dos servos ativos e dos adoradores constantes estavam ausentes. Ocasionalmente se ouviam gemidos e suspiros profundos de várias partes do recinto. Alguns estavam lamentando a perda de filhos, outros de maridos, de esposas, de pais e mães. O pastor estava falando quando entrei no salão, e pedia à audiência que tentasse acalmar seus sentimentos. Ele disse: “Nenhum de vocês pode entender o desapontamento profundo que estou experimentando com esse resultado do meu trabalho. Estou sendo acusado de ter pregado demais sobre os assuntos desta vida e muito pouco sobre o lar celestial e as coisas por vir; e de tê-los mantido na ignorância da iminência da terrível visitação que tem se manifestado entre nós neste dia. Em resposta a essas acusações, só posso dizer que tenho ensinado a vocês a mesma teologia que me foi ensinada no seminário, que é: tratar a Bíblia basicamente como um livro de simbologias e alegorias espirituais.” “Mas agora confesso que infelizmente eu estava enganado, porque depois do que aconteceu não posso deixar de acreditar que a Palavra de Deus significa exatamente o que ela diz. Estou feliz em dizer-lhes, no entanto, para o seu consolo, que desde hoje de manhã, após fazer um exame das Escrituras, em espírito de oração, quanto à nossa presente condição, constatei que ainda temos esperança.”

Então um coro de vozes exclamou: “Graças a Deus por isso!” O pastor continuou: “Embora tenhamos perdido o glorioso privilégio dos santos arrebatados, a salvação ainda pode ser nossa se, humilde e verdadeiramente, a aceitarmos. Talvez tenhamos que passar por provações e tribulações maiores do que qualquer uma que o mundo tenha algum dia experimentado, antes que alcancemos o Reino, mas aquele que perseverar até o fim será salvo.”

Aí, de repente a luz elétrica apagou e todos gritaram tão amedrontados que eu pulei, fiquei em pé, apavorado – e – acordei!

Minha esposa, que estava em uma sala ao lado, ouvindo o meu súbito pulo, correu para ver qual era o problema. Oh!, como fiquei feliz em vê-la e perceber que essa terrível experiência na minha poltrona tinha sido apenas um sonho! Mas, quanto mais eu pensava a respeito depois, mais solenes pareciam ser as verdades bíblicas que ele continha, e eu fiquei cada vez mais impressionado com a importância de termos nossas lâmpadas limpas e acesas, prontos para ir ao encontro do Noivo.

21
fev
08

A Dança na Adoração

Blog Entry

No Israel de Deus – passado e presente – é comum que o povo expresse seus sentimentos através das artes, sendo a dança um grande instrumento de comunicação.Portanto, a dança nunca foi algo “escandaloso” para o povo de Israel, nem tampouco para os outros povos do médio e extremo-oriente. Esse movimento não é nenhuma novidade e sempre fez parte das comemorações cristãs.
O preconceito em relação à dança é um problema cultural. Ao longo dos anos, alguns valores foram deturpados. Como, por exemplo, a questão do homem dançar estar associada à sua sexualidade. Há organizações tribais, como os índios e os aborígenes, em que só eles podem dançar. Já na Bíblia, observamos que os hebreus dançavam, sem distinção de sexo. A idéia do corpo ligada ao pecado e os gêneros que trouxeram vulgaridade também contribuíram para esta aversão aos movimentos.

Para Isabel Coimbra, líder do grupo de dança Mudança, da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte (MG), nós estamos vivendo uma transformação a partir do testemunho de vida dos adoradores. “Antes de sermos bailarinos, músicos ou cantores, somos vasos santos, ministros e sacerdotes. Logo, temos a responsabilidade de sermos referencial da glória de Deus”, declara.

Para o ministro de louvor Ramon Tessman, do Ministério Vida Nova, em Criciúma (SC), o temperamento artístico tem cegado muitos músicos, dançarinos e demais artistas cristãos. O resultado é insubmissão, rebeldia, sensualidade, mentira, e outras coisas mais. “Se as artes estão sendo restauradas por Deus, os artistas também precisam ser”, alerta.

Os grupos de coreografia têm invadido as igrejas e daí surge um questionamento. Qual o propósito desse trabalho? Qual o seu significado na adoração? Isabel explica que a música, a dança e o canto fazem parte de uma totalidade que ela denomina como Tabernáculo da Adoração.

Cada uma dessas linguagens tem um significado: na música é a sonoridade, a harmonia dos instrumentos; no cântico, são as palavras; e, na dança, é a imagem, o movimento. “Toda arte tem a mesma importância, mas só tem valor se salvar, curar, restaurar e edificar”, ensina. E no caso da dança, a unção vem pelo movimento. Não se trata de um adorno para enfeitar o púlpito da igreja.

“Davi dançava com todas as suas forças diante do Senhor , e estava Davi cingido de uma estola sacerdotal”, II Samuel 6:14.

Por Eveline Bini




Photobucket Rua Romeu Marcello 16 - Jardim Primavera, Salto de Pirapora/SP
Photobucket
Photobucket Campanha "TENDA DOS MILAGRES" . O Santuário Terrestre de Deus. Todo Domingo às 19:00 horas. PARTICIPE!!!
Photobucket ESPAÇO JOVEM: Todo sábado às 19:30 horas.
Photobucket CULTOS nas IEQ's: Bandeira - Campo Largo e São Manoel: 3° Feira, 6° Feira e Sábados às 19:30 horas.
Photobucket AULAS GRÁTIS: Bateria, Guitarra, Violão e Teclado. CURSOS de pintura em guardanapo. Na IEQ Sede.

Videos

Ultimos Comentarios

Visitas desde 24/07/2009

free counters
AmazingCounters.com
Abençoados
eharmony besucherzahler contatore internet